Celular Aliado ao Ensino e Execução da Música

13/11/2008 17:04

Com o advento das novas tecnologias, as quais possuem potenciais muitas vezes negligenciados, como podemos esgotar a utilização do celular além do consumo pessoal de comunicação?

Com a proposta da professora Andréa Phebo, de esgotar as possibilidades oferecidas pelo aparelho celular para o aproveitamento didático em sala de aula, refletimos sobre a pergunta acima. Escolhemos, dentre infinitas opções, o ensino da música, desde sua abordagem mais básica à intermediária. Analisando, descobrindo e desenvolvendo técnicas simples de como esse objeto portátil e acessível pode ser conjugado ao método de ensino, iniciamos um projeto, ainda muito distante do fim, para ajudar a todos que buscam uma aprendizagem musical interativa, sintonizada à sua época e estilo de vida.

 

Música e Educação

 

Sendo estudantes de Artes, decidimos nos envolver com o meio que nos é mais natural, porém, com tantos temas disponíveis no abundante meio artístico, por que a música?

Escolhemos a música porque, sem sombra de dúvidas, é uma das artes mais difundidas e absorvidas pela sociedade, arraigada em nosso dia-a-dia.

Lógico que não falamos aqui da teoria musical, conhecida por poucos brasileiros, mas da íntima ligação que qualquer indíviduo cria com o som melodioso. Muda-se o estilo, a performance ou o contexto no tempo, mas sua presença se mantém constante. A música vem sendo utilizada por profissionais da educação a fim de aprimorar as habilidades sensorias e abstratas dos estudantes,  dentro de um estudo sistemático, com a teorização das propriedades da música e sua plena compreensão. A sensibilidade musical do aluno tem que ser administrada como prioridade para que haja uma fluência e aproximação essenciais ao bom desempenho do mesmo.

Entretanto, as dificuldades enfrentadas pela musicalização no Brasil se acumulam, tanto pelo desprezo curricular e divergências governamentais, como pelos problemas mais simples como a aquisição de um instrumento musical. É exatamente aí que o telefone celular pode contribuir

para a vivência, apreensão e reprodução da música.

 

Música, o Celular e a Educação

 

A música existe desde o início dos tempos, com a junção harmônica dos mais distintos ruídos sonoros. O celular, no entanto, surgiu em nossas vidas corriqueiras há pouco mais de 20 anos, ampliando a gama das comunicações humanas.

A educação permance majoritariamente, alheia à corrida pelo aproveitamento das tecnologias a favor do aprendizado. É preciso acompanhar as possibilidades que os aplicativos do celular, cada vez mais criativos e multifacetados, proporcionam. O computador foi também, a priori, o causador de caos em vários setores humanos no primeiro momento, mas viemos reformando nossas posições, nos tornando consumidores assíduos, sabendo aproveitar o que nos pode ser útil. A partir dessa mudança de visão, criaram-se programas e sistemas que procuram sanar nossas necessidades

mais fúteis, e a demanda constrói o próprio mercado.

Por que não reproduzimos este comportamento com o celular? As funcionalidades sonoras e visuais são sempre um estímulo excitante à captura da atenção do aluno e sua disponibilidade farta garante uma acessibilidade imensa.

Antes de simplesmente barrarmos ou exilarmos estes aparelhos da nossa vida intelectual e cultural, podemos convidá-los a se integrarem, catalogando-os como mais um instrumento de aula, como um lápis ou um caderno e não um rélis estorvo que descumpre regras e leis.

 

Facilitando o Aprendizado da Música

 

Apresentamos aqui idéias de como utilizar o celular em uma aula de música. A princípio, não há faixa etária determinada; somente é necessário que os alunos tenham conhecimento sobre as funções de seu aparelho. Numa aula de música temos vários exercícios práticos e teóricos, que nos ajudam a compreender o conceito de escrita e execução da música, principalmente no início, na introdução a novos conceitos aos alunos. Muito da teoria musical demanda tempo para ser assimilada de maneira completa e útil tais como os conceitos de ritmos, altura e duração.

O conteúdo que abordamos aplica-se justamente nessa parte. O celular tem várias funcionalidades sonoras, que nos permitem utilizá-los como base para inúmeros exercícios musicais, auxiliando os alunos na compreensão dos conteúdos desejados. Para tal, utilizaremos arquivos MIDI, que são protocolos sonoros, assim como uma partitura,que registra todos os eventos necessários para se obter a música, só que digitalmente e de

forma que o aparelho compreenda e execute . São arquivos leves e que são suportados atualmente pela maioria dos aparelhos no mercado. A

tecnologia de envio de arquivos por ondas de rádio de curto alcance, mais conhecida como Bluetooth, que atualmente é presente em uma enorme gama de aparelhos, inclusive o telefone celular, em conjunto com os arquivos MIDI podem auxiliar muitos alunos no entendimento da

teoria musical.

 

APLICAÇÃO

Pode-se utilizar esses arquivos em vários conteúdos como; ritmos, altura, duração, solfejos e ditados. Os arquivos devem ser previamente preparados em programas de edição como Encore, Babya Logic, Finale ou outros, que serão posteriormente inseridos na memória do

celular para uso em sala e envio aos alunos.

 

METODOLOGIA

O professor utilizará esses arquivos sonoros durante a aula no auxílio da compreensão da leitura musical ( pauta musical ), visando exemplificar com sons, a melodia escrita na pauta. Os arquivos transmitidos ( por Bluetooth ou MMS ) aos alunos poderão ser utilizados pelos alunos

posteriormente as aulas ajudando quando eles forem estudar. Utilizando o arquivo MIDI como base sonora o aluno vai poder checar se leu/ executou certo aquilo que está presente na pauta musical.

De acordo com o progresso das aulas, o professor faria e distribuiria gradualmente novos arquivos junto com suas respectivas pautas impressas.

Podem ser aplicados inúmeros exercícios em diferentes conteúdos utilizando os arquivos: duração, altura, ritmo, timbre, acidentes, tempo, escalas, acordes, andamentos, pulsação, compasso, partitura, intervalos e etc.

 

Abaixo citamos alguns exemplos que podem ser aplicados:

 

Altura

A altura é um conceito fundamental da música. É ela é quem dá a "cor" da música, as diferenças entre os agudos e graves. É muito importante ao estudante de música saber diferenciar a altura entre os sons, saber se a próxima nota é mais grave ou aguda e etc.

Alguns arquivos com exercícios de 3 ou 6 notas seriam suficientes para esses exercícios de altura: três notas consecutivas, ou uma aguda, uma média e uma grave entre outros exercícios, ajudariam na vivência do aluno com esses conceitos após a aula, já que o aparelho está sempre

por perto.

 

Compasso

Um arquivo midi com som mais forte no primeiro de 4 tons consecutivos, determinaria o conceito de arrumação de um compasso 4/4; contém 4 batidas em um compasso, sendo o primeiro dos 4 mais forte, marcando o início deste.

 

Ritmo

Arrumando e misturando as diferentes figuras de tempo presentes na música, obtemos diferentes ritmos. Para tal conceito, um arquivo MIDI com o ritmo determinado em um tempo bem suave, para que se possa acompanhar com as mãos, voz ou instrumento. Também é possível distribuir diferentes arquivos a grupos na sala e sugerir que os alunos anotem as durações fornecidas pelo arquivo.

 

Solfejo

O solfejo é muito importante na música. É o ato de entoar com a voz trechos breves, dizendo os nomes das notas, que visam fortalecer e fixar a leitura da pauta e também a emissão de som e afinação dos alunos. Como no anterior, podemos escrever esse solfejo em um arquivo MIDI, e

assim o aluno poderá checar se esta entoando certo ou não o trecho determinado.

 

Melodias

Alunos que estão sendo apresentados ao instrumento, podem receber juntamente com a partitura, o arquivo correspondente às mesmas. Assim, como já citado, ele poderá checar se esta executando corretamente a melodia. É importante também fazer variações de andamento

do mesmo arquivo, assim facilitando a verificação de melodias muito rápidas.

 

 

 

*MMS; Serviço de Mensagem Multimídia > utilizado para enviar qualquer tipo de mídia via celular; fotos, áudio ouqualquer outro tipo de arquivo que não seja mensagem de texto.

*Apesar de hoje em dia o MMS ser considerado um serviço caro em grande parte das operadoras, com o uso e a difusão da tecnologia, a tendência é a queda do preço e, consequentemente, a acessibilidade.

*O aplicativo de alguns celulares obsoletos, chamado COMPOSER (NOKIA, Motorolla, Sony Ericcson entre outros. ) permitem a criação de toques por meio da inserção de códigos musicais. Caso esse aplicativo tivesse sido mantido nos celulares atuais, seria útil aos conceitos citados nessa pesquisa, mas atualmente os toques são em grande parte MIDI e MP3.

 

ATÉ MESMO NA ORQUESTRA...

Batucando as coisas, descobrindo novos timbres e sons. O ser humano sempre foi curioso na questão do som; desde as liras gregas, que veio do esticar e tensionar das cordas, até a flauta, com origem em ossos de animais mortos. Há sempre um novo som a se descobrir. Hoje, usando

a informática, é possivel até a criação de novos timbres, editando ondas de som já existentes. Nessa procura pelo novo, algumas pessoas descobriram o celular como instrumento musical.

Alguns celulares mais antigos possuíam uma escala musical, quando se clicavam os números

de 1 a 9. e atualmente já possuem programas que reproduzem de instrumentos simultâneamente. Abaixo citamos alguns projetos interessantes quando o assunto é tocar música com o celular:

 

Projeto Cellphonica Mobile Arts

O professor de acústica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, criador da cyclophonica, engenheiro, construtor de instrumentos, oboísta e compositor Leonardo Fuks desenvolveu uma técnica de controle sonoro do aparelho celular para utilização deste como instrumento musical,

formando a primeira Orquestra Cellphonica do mundo.

O projeto nasceu da descoberta de que, além de meio de comunicação, o telefone celular é um instrumento musical com recursos semelhantes aos instrumentos convencionais. Desde então, Leonardo Fuks vem experimentando e apresentando estes efeitos e idéias a

colegas músicos, a alunos e músicos amadores. Basicamente consiste na utilização da ferramenta “composer” ( que permite a execução das

notas em tempo real e a configuração da duração de cada nota ) enquanto, de forma semelhante a uma gaita, a aproximação do alto-falante do celular à boca do "músico" permite o controle do volume de som ( controle dinâmico ), controle do timbre sonoro, ataques e mesmo

a espacialização do som ( efeito pan ). O Projeto tem como missão reunir todas as técnicas e conhecimentos disponíveis sobre

celulares para aplicá-los no estudo, ensino, performance e desenvolvimento do aparelho celular

como novo instrumento da música.

http://www.acustico.org/cellphonica.htm

 

Pocket Guitar & Finger Piano

Dois programas bem interessantes para o celular da Apple, o Iphone. O primeiro imita o traste de uma guitarra aonde você pode fazer acordes, arpegios, tocar música de fato; pode-se até ajustar afinação entre outros. Tem suas limitações técnicas, mas promete deixar qualquer entusiasta musical entretido durante horas, escalando notas. O segundo software é um piano de bolso. Imita todos os sons de um piano convencional, do

mais grave ao mais agudo. O mais interessante é que ele vem com músicas incluidas, e indica quais teclas voce deve usar para tocá-las. Quem nunca entendeu nada de música, irá se realizar tocando Chopin ou Bach, com a ajuda do aplicativo.

 

Music Mate

Um aplicativo presente em grande parte dos telefones celulares da empresa Sony Ericsson. Possui várias funções musicais, como afinador de violão, acordes de violão, metrônomo e um pequeno techo de teclado que pode ser acionado a partir das teclas do celular, emitindo som

em tempo real.

 

Plano de aula

Data

• 04 de Novembro de 2008

Título

• O Celular na Educação;

Utilização do Aparelho Celular no Auxílio do Ensino e Execução da Música

Faixa Etária

• Somente é necessario que os alunos saibam as funcionalidades de seus aparelhos ; não há

idade pré-determinada

*o método é destinado a classes de iniciação musical podendo ter outras aplicações

Objetivo

• Auxílio na compreensão de conceitos básicos da música

• Auxílio na percepção e execução musical em conjunto com o método convencional, visando

uma vivência cotidiana com a música, mesmo após as aulas

• O uso do celular como instrumento musical

• Inserir um aparelho popular ao aprendizado de conteúdos de música, como duração,

altura,ritmo, timbre, acidentes, tempo, escalas, acordes, andamentos, pulsação,

compasso,partitura, intervalos e etc.

Material Necessário

• Programas de Edição de Áudio com suporte a arquivos MIDI

Finale, Encore, GarageBand ( pagos )

BabyaLogic, Domino ( livres )

• Aparelhos Celulares ( aluno e professor ) com suporte a Bluetooth e MIDI

• Arquivos MIDI/*MP3

• Tecnologia de transmissão de dados ( Bluetooth / MMS )

 

Alunos:

Gabriel Jimenez

Gilberto da Hora

Thaís Spínola

Pesquisar no site

Celular Aliado ao Ensino e Execução da Música arquivos de som

05/12/2008 18:14

arquivos de som

Compasso 4x4.mid (431 B) Escala Maior.mid (356 B) Intervalos.mid (258 B) Melodia MOZART.mid (383 B) Melodia MOZART Lento.mid (383 B) Melodia MOZART Presto.mid (383 B)  

alunos usando o celular como instrumento musical