O celular e a Moda

30/11/2008 21:13

 O CELULAR PODE SER UM MATERIAL DIDÁTICO?

 

Na atual Era Digital da informação encontramos um participante assíduo dentro da realidade pedagógica atual: o aparelho celular. Assim, no contexto desse trabalho, essa nova tecnologia aparece não mais apenas como um meio de comunicação entre as pessoas, mas também como um elemento de socialização dentro das salas de aula. Dentro dessa realidade o celular está “invadindo” as salas de aulas, tanto particulares como as públicas. A facilidade da compra, com os crediários e preços promocionais tentadores facilitam o acesso ao aparelho, por cada vez mais pessoas de todas as classes sociais. 

 

Em um exemplo temos um depoimento de um aluno que alega: “O celular já se tornou um item fundamental na minha bolsa, não só para eu falar com as pessoas quando mais é necessário, mas também quando preciso gravar ou tirar uma foto ele é quem vai me salvar na hora!”

De acordo com esse depoimento, temos a noção de que o celular é um participante presente na vida das pessoas.

 

 

 

É de consenso de que o celular terá futuramente uma participação maior dentro das salas de aula. Devido primeiramente a fácil aquisição do aparelho e também, porque se transformará em um computador com todas as suas funcionalidades como acesso a internet e outras funções windows. Perante isso, o celular será transformado em um material importante em uso didático nas salas de aula, juntamente com outros meios já utilizados pelos professores como TV, DVD, computadores, Rádio e outros. Assim como mais um desafio a ser ultrapassado pela cultura escolar o celular também ocupará o seu lugar.

 

                                                                                    “Pensar contra foi sempre a maneira

                                                                                                    menos difícil de pensar.”  

                                                                                       (Jacques De Bourbon-Busset)

 

 

METODOLOGIA:

 

Pensando no celular como um material didático e analisando suas problemáticas, nos encontramos em uma posição não totalmente positiva. Primeiro porque o celular trás consigo funções favoráveis ao método didático, porém junto com essas, trás também a função base do celular: a comunicação com/para pessoas de fora do estabelecimento escolar. Isso implica na maneira como o professor irá conduzir sua aula com o uso desse aparelho. Chega-se a seguinte conclusão: só poderá ser usado o aparelho celular em aulas pré-estabelecidas e planejadas pelo professor. Com isso, as aulas normais de curso anual não terão o problema de ser interrompida por um toque sistemático de um celular. Porém o uso desse em suas várias funções poderá sim ser estudada pelo professor para serem aplicadas como complementação em suas aulas. Assim o professor poderá utilizá-lo como meio didático, sem implicar em sua forma negativa: a interrupção das aulas e contato externo.

 

 

Baseada  nessa dinâmica para a tilização do celular como material didático, proponho um esquema de aula com o uso positivo do aparelho celular, seguindo uma metodologia para o curso de indumentária.

Pensando como seria dirigida essa aula, pensei primeiro em um conteúdo didático ao qual se encaixaria para ser aplicado à uma turma de indumentária. Escolhi o tema: “Estilo anos 60/70 e sua influência nos dias de hoje.”

Para ser aplicado esse assunto, seria necessário ter em mãos para ilustração da aula materiais como: roupa da época, vídeos ou filmes de época, documentários ou fotos em slides e os celulares dos alunos.

Utilizando apenas vídeo DVD de um festival ocorrido em 65, (Woodstock), e os celulares defini um planejamento de aula abordando o tema escolhido.

 

PLANEJAMENTO DE AULA:

 

1. O tema escolhido foi “estilo anos 60/70 e sua influência nos dias de hoje.”  

 

2. Materiais determinados para a aula foram: vídeo DVD Woodstock (para demonstração de vestuário de época) e aparelhos celulares para serem utilizados na dinâmica.

 

3. Foi definido o objetivo esperado em sala de aula: os alunos terem conhecimento e informações do que foi, o porquê e como era o vestuário nas décadas de 60/70 conhecido como estilo hippie, e de que forma esse estilo influência nos dias de hoje.

 

4. Foram definidas duas aulas necessárias para a conclusão do assunto abordado.

 

5. No primeiro dia, na aula teórica, expliquei o que foram as décadas de 60/70 no modo dos jovens em especial se vestirem. Após a explicação, passei o vídeo do festival de Woodstock como exemplo de vestuário de época. No término da primeira aula, passei o trabalho proposto para prática, à ser entregue na segunda e última aula desse tema.

 

6. O trabalho proposto foi: os alunos teriam que utilizar o celular, principalmente a câmera fotográfica, ou qualquer outras funções deste, para fazer uma curta entrevista com pessoas que estivessem usando alguma roupa ou acessórios que fossem influenciados pelo estilo hippie dos anos 60/70. Sendo pedida cinco (5) perguntas determinadas pelos alunos e uma foto (imagem) da pessoa entrevistada.

 

7. No segundo dia foram entregues os trabalhos e apresentados para análise da própria turma. Demonstrando o que pensam diferentes pessoas e de como utilizam os vestuários influenciados por um estilo de época nos dias de hoje.

 

8. No final das aulas recolhi as entrevistas e desenvolvi esse trabalho. “O celular como um material didático.”

 

 

AULA TEÓRICA: Resumo

 

O rock and rool e Elvis Presley influenciaram muito a década de 60, usou-se os blusões e os jeans.

Nos anos 60 os jovens predominavam no mundo, influenciados pelas idéias de liberdade começavam a opor-se à sociedade de consumo vigente.

Este período pôs fim à moda única, que passou a ter várias propostas e a forma de vestir estava cada vez mais associada ao comportamento.

As empresas criaram produtos especiais para os jovens, que pela primeira vez, tiveram a sua própria moda. A moda era precisamente não seguir a moda, o que representava um sinal de liberdade e o grande desejo da juventude da época.

A minissaia era a peça mais utilizada. Os tecidos apresentavam muitas variedades, usavam-se os estampados e as fibras sintéticas. A lingerie passou a ser usada por todas as mulheres, bem como o uso da calcinha e da meia-calça, que dava conforto e segurança, tanto para usar a minissaia como para dançar o twist e o rock.

O unissexo generalizou-se com os jeans e as camisas sem gola. Pela primeira vez, a mulher usava roupas tradicionalmente masculinas, como o smoking.

Na olhos eram muito marcados, com batons clarinhos ou mesmo brancos e os produtos preferidos deviam ser práticos e fáceis de usar.

As perucas passaram a estar na moda, mais baratas e em diversas tonalidades e modelos, elas eram produzidas com uma fibra sintética, kanekalon.

A moda masculina eram os paletós sem colarinho de Pierre Cardin e o cabelo de franjão, gravatas largas e botinas, a silhueta era mais ajustada ao corpo.  

Nos anos 70 o estilo hippie reinava. Os hippies rejeitavam o consumismo e olhavam para o Oriente como inspiração religiosa. A devoção, as culturas e as religiões exóticas refletiram-se nas roupas. Sob forte inspiração étinica, ciganas, túnicas indianas, estampas florais, tingimentos naturais e símbolos da paz misturam-se com o básico jeans e a camiseta.

Os cabelos crescerem em desalinho, cabelos suavemente ondulados e estolas de pluma. Usaram-se os chapéus desabados, veludos, cetins, de palha adornados com flores.

"Faça o amor, não a guerra" este era o lema do início da década que acabou influenciando a moda. As túnicas batik, micro e maxi saias, os jeans com muitas aplicações foram muito usados.

As camurças, as franjas, as calças boca-de-sino, tachinhas, bordados e muitos brilhos, saias e calças de cintura baixa com cintos largos ou de penduricalhos foram muito usados. Outro estilo que marcou foi o estilo safari, usavam-se os colares de contas de missangas, brincos compridos e as bijuterias étnicas. As bolsas de crochê com franjas e calças de tiracolo adereços muito usados pelas mulheres.

Os homens deixam a roupa formal de lado, e passam a usar roupa próxima ao corpo com lapelas largas nos casacos e calças boca-de-sino. As camisas ganham estampas florais inspiradas em ídolos do rock psicodélico.

 

LADO POSITIVO E O NEGATIVO:

 

No primeiro dia,como a aula foi padrão explicação-demonstração em vídeo, foi muito tranqüilo e ocorreu tudo como o esperado, somente na hora em que propus o trabalho prático para a turma, com o uso do celular, que a turma teve um grande debate sobre como seria essa entrevista e  sobre ética em sala de aula.

O debate sobre ética em sala de aula tive algumas preocupações, como por exemplo, alguns alunos não quiseram fazer o trabalho por serem contra a proposta de usar o celular em sala de aula.

Porém a maioria dos alunos tiveram uma grande aceitação e concordaram com o uso do celular, como também deram opiniões de como poderia ser uma continuidade para esse trabalho em uma turma durante um período de curso.

A maioria dos alunos tinham celular e com as principais funções fotográficas, filmagem, rádio, etc.

Os alunos que se propuseram a fazer o trabalho prático, ficaram muito empolgados e foram logo tirar as fotos e fazer as entrevistas, ali na faculdade mesmo.

No dia em que voltei para continuar a aula passada e recolher os trabalhos, alguns alunos não o tinham feito, somente alguns, mas não pelo trabalho proposto, e sim pelo fato de que o trabalho não valeria pontuação real no curso.

Os alunos que entregaram as entrevistas apresentaram à turma que gostou muito do resultado.

Com esse trabalho consegui alcançar o objetivo de fazer os alunos verem como diferentes pessoas lidavam com a influência do estilo hippie dos anos 60/70 atualmente, e principalmente, como o aparelho celular poderia ser usado como material didático de uma forma positiva.

 

 

ENTREVISTAS E FOTOS:

 

Trabalho 1:

Aluna_ Vanessa da Silva Figueira.

 

1. Qual o motivo que fez você escolher essa bolsa e brincos?

Resposta: Me sinto mais a vontade e leve...também porque acho bonitos os acessórios, a bolsa é bem prática e os brincos são levinhos...

 

2. Você gosta da moda hippie?

Resposta: Adoro! São os tipos de roupas e acessórios que mais tenho...sempre estou com uma saia indiana...brincos de pedras...coisas de crochê...adoro!

 

3. Você sabe fazer crochê, como essa bolsa?

Resposta: Não, mas já tentei aprender...mas não tive muito tempo para treinar...acho que é fácil! Gostaria muito de saber...iria fazer várias bolsas e roupas para mim!

 

4. Você se importa se te chamarem de hippie na rua?

Resposta: De jeito nenhum! Adoro o estilo hippie e até gosto quando me chamam de hippie na rua...a ideologia deles eram a mais linda! As pessoas eram bonitas e felizes...

 

5. Você gosta do tipo de música da década de 70?

Resposta: Não, escuto muito MPB...mas gosto muito de Jannes Joplin e Novos Baianos...o estilo musical da época todos são muito bons!

Trabalho2:

Aluna_ Áurea Bezerra da Silva.

 

1.Porque decidiu usar uma bolsa bordada e com aplicações hoje?

Resposta: Porque tinha que trazer umas peças que arranham e essa bolsa é ótima para isso, pois é feita toda de tecido fininho e leve...e também porque fica ótima com essa blusa!

 

2.Você sabe que esse estilo da sua bolsa e calça são influenciados pela cultura hippie dos anos 70?

Resposta: Não...acho muito reggae e tanto a minha bolsa como a minha calça são comuns e atuais...porque a calça é levinha e confortável gosto e a bolsa porque é prática e leve também.

 

3. Você já leu sobre o estilo hippie ou já viu fotos?

Resposta: Algumas fotos...e ler ainda não. Mas acho que hippie é muito mas aquelas saias compridonas do que calças de tecido assim...gostaria de conhecer mais como era as roupas daquela época...talvez esteja errada né!

 

4. Na moda hippie dos anos 70 usava-se muitas aplicações, bordados, crochê, etc, o que você acha de estar usando um item hippie hoje?

Resposta: Nossa! Muito legal! Adorei saber que essa bolsa tem estilo e é influência de uma década tão bonita como foi os anos 70...agora vou comprar mais dessas!

 

5. O que você lembra quando fala-se de moda hippie anos 70?

Resposta: Lembro daquele festival numa Arena nos Estados Unidos, saias indianas, psicodelismo com aquelas cores misturadas, cabelos grandes partidos no meio e óculos redondo e grande...vou pesquisar mais! 

 

Trabalho 3:

Aluna_Virgínia Braz Assanti.

 

1. A senhora sempre usa esse estilo de blusa bata?

Resposta: Não porque não tenho várias, porque por mim só usaria batas...adoro! Gosto muito desse estilo de roupa...já fui Hare Krishna e adoro tudo que é indiano e hippie...uso muito vestidos longos bordados com pedrinhas...sandálias rasteiras...bolsas e bijuterias de pedras também gosto muito!

 

2. O que a senhora acha da cultura da década de 70?

Resposta: Considero uma época muito boa em tudo...vivi essa época e fui hippie também! É eu usava calça jeans surrada e bordada com a boca-de-sino enorme! (risos) E naquele tempo nós éramos livres para ser e usar o que queríamos...tinha a repressão, mas não tinha a descriminação das pessoas nas ruas...como hoje em dia acontece com os jovens...tudo era mais colorido e bonito, os jovens se amavam e eram amigos...a gente trocava as peças que não gostávamos mais...tudo era feito manualmente...as roupas eram lindas mesmo!  

 

3. A senhora acha que os jovens hippies de hoje em dia se vestem parecidos com os daquela época?

Resposta: Hoje em dia é tudo mais industrial...as roupas não são mais bordadas por eles...compram já assim...mas as roupas, o jeitinho de usar é muito parecido mesmo...tem roupas que são idênticas!

 

4. Qual peça de roupa ou acessório que a senhora mais vê se usando nas ruas e foi influenciado pela moda hippie?

Resposta: Nossa! Deixa eu ver...são tantas as roupinhas hippies que se vê nas ruas que fica difícil pensar...Acho que são as saias indianas! As saias longas feitas de tecido e bordadas com aplicações...é são as saias indianas!

 

5. O que a senhora acha que mais influência os jovens a se vestirem e adaptarem a moda dos anos 70 nos dias de hoje?

Resposta: Muito bom, porque se os jovens se vestem de modo particular e querendo transmitir uma mensagem pessoal, é sinal de que eles estão se libertando...estão sendo verdadeiros...a moda de se vestir apenas é uma das maneiras de expressão em que uma pessoa pode transmitir uma mensagem positiva do que pensa e quer para o mundo...e se vestindo influenciados pela cultura hippie, é sinal de que realmente estão sendo livres...pelo menos era isso o que se pregava nos anos 70! 

 

 

BIBLIOGRAFIA:

 

 

http://www1.folha.uol.com.br

http://www.metodista.br

 

http://www.celulares.etc.br/celular-e-o-aparelho-mais-importante-para-o-jovem-brasileiro

 

Almanaque anos 70 - Uma década muito doida. (Ana Maria Bahiana)

 

Imagine Nation: The American Counterculture of the 1960's and 70's ( P. Braunstein )

 

 Aluna: Laura Bezerra

 

Pesquisar no site